• Marcelo Rossi

Arquitetura e o mundo eletrônico

Muitos estão acostumados com o papel do arquiteto em transformar o projeto do papel para algo sólido e palpável, como edificações e intervenções urbanas, por exemplo, desconhecendo outras áreas de atuação na profissão. Uma dessas é a colaboração entre a arquitetura e algo que está ligado ao lazer de muitos brasileiros: os jogos eletrônicos (em torno de 66% da população brasileira tem o hábito de jogar games eletrônicos).


Nos últimos anos, a colaboração entre a indústria de jogos e a Arquitetura tem crescido cada vez mais. Diversos jogos de sucesso vêm se destacando por apresentar arquitetura mais realista, como: Assassins Creed, Cyberpunk 2077 e GTA. Essa colaboração vai desde consultorias históricas sobre Arquitetura, até a utilização dos conhecimentos de arquitetos em planejamento espacial, iluminação e design, na busca de mais realidade e maior entretenimento ao usuário.


Imagem do Cyberpunk 2077 (fonte: br.atsit.in)

Essa parceria também rendeu frutos para a Arquitetura. A ferramenta responsável pela geração gráfica de diversos jogos eletrônicos, chamada Unreal Engine, começou a ser utilizada por diversos arquitetos; porém, ao invés de simularem mundos imaginários, estão concebendo os projetos de forma mais realista. Aquela imagem realista tridimensional, também chamada de render, resulta dessa colaboração (exemplo abaixo).


Render de um dos projetos da RZ Arquitetura

Enfim, a renderização é muito utilizada pelos escritórios de Arquitetura na apresentação, de forma cada vez mais realista, do produto final, mesmo em fase de projeto, o que auxilia tanto o projetista a melhor atender os objetivos do cliente.